Navegação

OS TRABALHOS DE HÉRCULES


Viagem Através dos Signos

(Como um fundo de cena para o drama representado em cada signo este breve sumário parece integrar a Série Hércules)

O progresso de Hércules a partir do plano mental, através do plano emocional ou do desejo, e até a manifestação física, e depois sua jornada através dos doze signos, e por meio dos doze trabalhos, até o ponto em que ele se torna um inspirado Iniciado, pode ser descrita para nós brevemente na seguinte afirmação:

Em Áries (21 de março - 20 de abril, o Carneiro), através da captura das Éguas antropófagas, nós o vemos dar sua partida, reagir ao impulso do pensamento, e aprender algo sobre o controle da mente. Como o discípulo inteligente, ele inicia sua carreira, começando com um impulso espiritual indefinido à correção e terminando como um salvador mundial.

Em Taurus (21 de abril - 20 de maio, o Touro), ele tem de aprender a natureza do desejo, transmutá-lo em aspiração, dominar o sexo, e usá-lo corretamente, e assim capturar o Touro de Creta. Este forte impulso, e a potência da atração é, como veremos, o que produz a grande ilusão, mas que pode, afinal, tornar-se a causa da iluminação.

Passando para o signo de Gemini (21 de maio - 20 de junho, os Gêmeos), o progresso do discípulo, até então subjetivo e caracterizado pelo pensamento e pelo desejo, consegue expressar-se no plano físico. Neste signo ele chega ao conhecimento de si próprio como uma personalidade e colhe as maçãs douradas do conhecimento, subordinando à sua iniciativa os três aspectos do eu pessoal inferior, o corpo físico, a natureza que sente o desejo, e a mente.

Em Câncer (21 de junho - 21 de julho, o Caranguejo), a faculdade superior da intuição é desenvolvida e isso é simbolizado para nós pela captura de esquiva corça, ou veado. Sensível e difícil de se encontrar. Em seus anteriores ciclos de experiência de vida, ele transmutou o instinto em intelecto, mas agora, como o discípulo, ele deve transmutar o intelecto em intuição. As correspondências superiores a todos os poderes inferiores têm de ser desenvolvidas e utilizadas.

Assim equipado, em Leo (22 de julho - 21 de agosto, o Leão), ele assume a mais conhecida de suas tarefas, a morte do Leão de Nemeia. Ele demonstra nesse teste o poder de fazer duas coisas e prova ao seu mestre que o observa, Euristeu, que sua personalidade refocalizada e coordenada é caracterizada por aquela coragem determinada que é o dom das pessoas nascidas nesse signo, e ele dá testemunho através desse trabalho, também, que o inferior pode ficar subordinado ao superior. Através do serviço prestado e da sanidade de seu procedimento ele dá uma garantia da força do seu propósito.

Poderíamos considerar esses cinco labores em Áries, Touro, Gêmeos, Câncer e Leão, como cobrindo todo o período do Caminho Probatório, e a morte do Leão de Nemeia é o clímax dessa parte da luta. Agora ele está pronto para trilhar o Caminho do discipulado, no qual o Cristo interno gradualmente se revela, a matéria está firmemente subordinada aos usos da alma, e o aspecto-forma vem a ser considerado simplesmente como a mãe do Cristo criança. Esse progressivo conhecimento começa em Virgem, o sexto signo, o signo da manjedoura, e é consumado em Capricórnio, o décimo signo, o signo de nascimento de todos os deuses solares. No Caminho do discipulado, ele tem, em segundo lugar, que demonstrar ter superado a ilusão, que a miragem mágica que a matéria impõe sobre o espírito não mais engana. Isto é dramaticamente demonstrado no trabalho realizado em Escorpião, a morte da Hidra de Nove Cabeças. Após Capricórnio, ele se torna um servidor da humanidade, consagrado ao trabalho da Hierarquia, e essa dedicação espiritual ao serviço encontra sua expressão nos últimos dois signos da ronda do Zodíaco, as de Aquário e Peixes.

Em Virgo (22 de agosto - 21 de setembro, a Virgem), portanto, o primeiro dos signos do discípulo, ele realiza seu sexto trabalho, e arrebata o cinturão de Hipólita, a Rainha das Amazonas. É interessante notar que o primeiro trabalho no Caminho probatório havia sido iniciado com um fracasso parcial, em Áries, e o primeiro trabalho no Caminho do Discipulado em Virgem, “também” é “feito, mas mal feito”. O discípulo nunca deve estar fora de guarda, pois há sempre o perigo do erro e do engano. Suas próprias virtudes podem tornar-se seu problema e nos é dito que isso é possível, mesmo a um alto iniciado filho de Deus, sair do caminho da conquista. Seu fracasso, todavia, é somente temporário. Novas oportunidades surgem. A consequência do seu erro pode retardar, mas o dia da restauração e da inevitável renovação chegará. Em Virgo descrevemos a preparação para a primeira iniciação, o nascimento do Cristo chamado na cristandade de nascimento do Cristo no coração. Esse é um acontecimento tanto no plano físico quanto no transcendental, como constatamos ao estudarmos os signos da Virgem e do Capricórnio.

Em Libra (22 de setembro - 21 de outubro, a Balança), Hércules captura o javali e, pela performance neste trabalho, demonstra sua aptidão para receber a segunda iniciação que diz respeito ao corpo emocional. Ele equilibra os pares de opostos e o demonstra de uma maneira divertida. Ele prova que o porte e o equilíbrio são agora características adquiridas e que ele está preparado para se entregar à tremenda tarefa que lhe estava destinada no signo seguinte.

Em Scorpio (23 de outubro - 22 de novembro, o Escorpião), ele enfrenta o teste supremo, que é também a prova máxima da humanidade e que, se estudarmos os tempos e as estações, parece que a ela a humanidade está sendo submetida no tempo atual. O problema diante de Hércules era sua emancipação da ilusão e a libertação da percepção dos nevoeiros e miasmas, a miragem e as aparências, atrás das quais a Realidade se esconde. Neste signo ele passa com êxito pela sua maior prova e a partir de então o seu problema muda. Ele controlou e demonstrou sua capacidade de superar o desejo; ele tem porte e é equilibrado em seu ponto de vista; agora, porque ele não é mais dominado pelas aparências e porque ele pode caminhar diretamente na Luz, ele se torna um trabalhador mundial.

Essa unidirecionalidade é demonstrada para nós em Sagitário (23 de novembro - 22 de dezembro, o Arqueiro), onde vemos a consumação da tarefa iniciada em Áries que era o uso correto e o controle do pensamento. Em Áries ele capturou as Éguas antropófagas e as curvou ao seu comando. Agora ele mata os Pássaros Antropófagos de Estinfalo e acaba com todas as tendências a usar o pensamento destrutivamente.

Em Capricórnio (23 de dezembro - 20 de janeiro, o Bode), ele se torna um iniciado e aparece diante do mundo como um salvador, um liberado filho de Deus, capaz de trabalhar no Inferno, na Terra ou no Céu. Ele tira Cérbero do Hades, e através do simbolismo do cão de três cabeças retrata a elevação da personalidade, o aspecto tríplice da matéria, até o Céu. Assim ele demonstra que sofreu o necessário desenvolvimento e experimentou as provas fortalecedoras que o iriam capacitar a enfrentar com êxito a experiência da terceira iniciação, a da Transfiguração.

Os dois signos seguintes, Aquário e Peixes, nos mostram o Hércules liberado em seu trabalho, a salvação do mundo. Suas provas não são mais pessoais e individuais, mas são universais em sua aplicação e demonstram-nos a inclusividade da consciência e a vastidão dos métodos empregados pelo discípulo que subiu a montanha em Capricórnio e não tem mais quaisquer problemas pessoais.

Em Aquário (21 de janeiro - 19 de fevereiro, O Carregador de Água), Hércules limpou os Estábulos de Augias desviando um rio para lá. Eles não haviam sido limpos desde há muitos anos. Assim ele simbolicamente derramou as águas limpadoras no serviço ao homem. Este é o importante signo no qual estamos entrando agora; o mais significativo de todos os trabalhos cai neste, em seguida ao trabalho culminante dentre todos. Pode-se pensar com reverência, de Jesus Cristo lavando os pés de seus discípulos depois de haver seguido o homem com o jarro d’água em seu ombro, até o aposento superior.

Em Pisces (20 de fevereiro - 20 de março, os Peixes), encontramos por contraste o símbolo mais exaltado. Pois aqui Hércules capturou o Gado Vermelho, colocou-o (os) numa taça dourada (a Taça Sagrada) e voou com eles para o Templo. Tal é a beleza que coroa do signo no qual o homem se torna um salvador mundial, tudo o que sendo a animalidade tendo sido redimido e transcendido. Interpolado.

Esta curta análise dos doze trabalhos nos deu um quadro um tanto sintético do trabalho feito por cada discípulo que é verdadeiramente sério, ao avançar de Áries até Peixes. É um trabalho árduo, lento e levado adiante sob grandes dificuldades, e muitas vezes em cega ignorância das forças libertadas e dos resultados a serem alcançados. Mas passo a passo o aspirante é levado ao longo do caminho do autoconhecimento. Seu caráter e natureza foram testados e postos à prova até que as qualidades que caracterizam a forma tenham sido transmutadas naquelas que revelam a alma.

Início