Navegação

OS TRABALHOS DE HÉRCULES


OS TRABALHOS DE HÉRCULES
por Alice A. Bailey

O Zodíaco

Aquele Que Presidia lançou Seu olhar sobre os filhos dos homens, que são os Filhos de Deus. Viu suas luzes e o lugar que eles ocupavam no Caminho que conduz de volta ao Coração de Deus. O Caminho descreve um círculo através dos doze grandes Portões, e, ciclo após ciclo, ora os Portões são abertos ora os Portões são fechados. Os Filhos de Deus, que são os filhos dos homens, prosseguem em sua marcha.

A princípio, a luz é tênue. Egoísta a tendência da aspiração humana, e sombrios os atos daí resultantes. Lentamente, os homens aprendem e, nele, cruzam inúmeras vezes os pilares dos Portões. Custam a compreender, mas nas Câmaras da Disciplina, que existem em cada seção da curva que o ciclo cósmico descreve, a verdade vai sendo aos poucos apreendida; a lição necessária é aprendida; a natureza é purificada e ensinada até que a Cruz é vista - a Cruz fixa e expectante, que crucifica os filhos dos homens, estendida sobre as Cruzes daqueles que servem e salvam.

Em época muito remota, um homem destacou-se dos demais e atraiu a atenção do grande Ancião, Aquele que eternamente preside na Câmara do Conselho do Senhor. Voltando-se para aquele que estava próximo, perguntou: “Quem é aquela alma no Caminho da vida, cuja luz pode agora ser tenuemente vista?”

Prontamente veio a resposta: “Aquela é a alma que, no Caminho da vida, aprende através da experiência e busca a luz clara que brilha do Alto Lugar.”

“Deixa-a prosseguir em seu caminho, mas observa seus passos.”

Passaram-se muitos eons. A grande roda girou e, ao girar, trouxe para o Caminho aquela alma que buscava a luz. Chegou o dia em que Aquele Que Preside, dentro da Câmara do Conselho do Senhor, novamente conduziu para o circulo de sua vida radiante a alma que buscava.

“De quem é aquela alma no Caminho do grande esforço cuja radiação brilha tenuemente?” Responderam-lhe: “uma alma à procura da luz da compreensão, uma alma que luta.”

“Diz-lhe, em meu nome, para voltar ao outro caminho e então viajar ao redor do círculo. Então ele encontrará o objeto de sua busca. Observa seus passos e, quando ele tiver um coração compreensivo, a mente alerta e mãos habilidosas, traze-o a mim.”

Séculos novamente se passaram. A grande roda girou e, ao girar, levava todos os filhos dos homens, que são os Filhos de Deus, por seus caminhos. E, à medida que os séculos se passavam, um grupo de homens emergiu que, lentamente, tomou o outro caminho. Encontraram o Caminho. Cruzaram os Portões e esforçaram-se por atingir o topo da montanha, até o lugar da morte e sacrifício. O Mestre que observava, viu um homem destacar-se entre a multidão, subir na Cruz fixa, exigindo feitos a realizar, serviço a ser prestado a Deus e aos homens, e disposição para percorrer o Caminho para Deus.

Ele postou-se diante do grande Ser Que Reside e trabalha na Câmara do Conselho do Senhor e ouviu uma voz dizer:

“Obedece ao Mestre no Caminho. Prepara-te para as últimas provas. Passa através de cada um dos Portões e, na esfera que eles revelam e guardam, realiza o trabalho adequado a cada esfera. Aprende, assim, a lição e começa, com amor, a servir aos homens da terra.”

Então ao Mestre foi dirigida a palavra final: “Prepara o candidato. Dá-lhe os trabalhos a executar e inscreve o seu nome nas placas do Caminho vivente.”

(O Tibetano - Djwhal Khul)

 

 

 

 

 

 

 

 

 


Fonte: Livros de Alice A. Bailey - Os livros de Alice A. Bailey e os da Agni Ioga são editados no Brasil pela Fundação Cultural Avatar.

Início