D.K. e Kalachakra
David Reigle

Muitos estudantes dos escritos de Alice Bailey já devem ter ouvido falar de Kalachakra, já que “Kalachakra for Peace World” foi o tema das duas últimas grandes iniciações públicas de Kalachakra dadas no ocidente pelo Dalai Lama do Tibete, na Suíça em julho de 1985 e em Los Angeles, EUA, em julho de 1989. Há evidências consideráveis que serão um pouco elucidadas abaixo, de que D.K. foi um dos principais mestres Kalachakra do Tibete; que aproximadamente três quintos do assunto do sistema Kalachakra foram tratados em seus vários livros em inglês escritos com a ajuda de Alice Bailey; que grande parte desse tratamento consiste no que eram ensinamentos orais anteriores e que consequentemente aumentam muito os escritos existentes (mas não traduzidos) do sistema; e que, com a publicação deste sistema com todas as suas práticas, teremos as ferramentas técnicas até então secretas para implementar poderosamente o plano para o planeta Terra, que inclui a paz mundial. Alguns observadores já veem uma ligação entre essas atividades de Kalachakra e as transformações políticas de seis países da Europa Oriental em um curto período de meses em 1989.

Kalachakra é conhecido na tradição Budista no que foi preservado como o Ensinamento de Shamballa. D.K., em seu último livro, apontou que o ensinamento sobre Shamballa era a mais importante de todas as verdades mais recentes que ele transmitia. (1) Kalachakra, por lenda vinda de Shamballa, é historicamente considerado o mais recente desenvolvimento dos ensinamentos esotéricos do Budismo. No entanto, em muitos pontos, difere acentuadamente de qualquer outro ensinamento Budista. Meu próprio interesse em Kalachakra foi gerado quinze anos atrás, ao ler as referências de Nicholas Roerich a ele como o ensinamento do futuro, equiparando-o ao seu "Agni Ioga". Em seu livro, Shamballa, ele escreve: “Esse ensino de Kalachakra, essa utilização da energia primária, foi chamado de Ensinamento do Fogo. O povo Hindu conhece o grande Agni - embora antigo que seja, será o novo ensinamento para a Nova Era. Devemos pensar no futuro; e no Ensino de Kalachakra sabemos que reside todo o material que pode ser aplicado para o melhor uso.” (2) Nicholas e Helena Roerich foram responsáveis por fundar a Sociedade Agni Ioga e publicar vários livros, incluindo um intitulado Agni Ioga.

D.K. fala do Agni Ioga como o "ioga da síntese" que vem proporcionando assim outro nome para o ioga Kalachakra, que é substituir gradualmente o bhakti e o raja iogas. Mas ele diz: “No livro Agni Ioga, algo do ensinamento a ser dado foi filtrado, mas somente sob o ângulo do aspecto vontade. Nenhum livro já fez sua apresentação contendo de qualquer forma o que quer que seja do 'ioga da síntese' ”. (3)

Em 1985, pela primeira vez, um livro sobre Kalachakra foi publicado em um idioma ocidental. Não apenas um, mas três livros sobre Kalachakra apareceram naquele ano, todos no idioma inglês. (4) Alguns deles dão o ioga da síntese? O Kalachakra é um sistema de ensinamentos tão vasto e abrangente, que um livro de tamanho normal em inglês pode lidar apenas com alguns aspectos dele, como dois dos três, ou apresentar alguns de seus pontos mais importantes, como o outro dos três faz. É também um sistema dado principalmente em termos de símbolos, em vez de declarações claras com uma lógica detalhada, como estamos acostumados no Ocidente. Assim, somente a partir desses três livros, pode não ser possível obter uma imagem clara do ioga Kalachakra, ou mesmo verificar completamente o que é o ioga Kalachakra.

O texto básico do sistema é o Kalachakra Tantra, primeiro dos Livros de Kiu-te, que é mencionado na literatura Teosófica como a fonte das estrofes de Dzyan dadas em A Doutrina Secreta. (5) O Kalachakra Tantra é amplamente ininteligível sem seu comentário volumoso intitulado Vimalaprabha. Ambos foram originalmente escritos em Sânscrito, depois traduzidos para o Tibetano. Embora esses textos estejam disponíveis, eles ainda aguardam tradução para o inglês. A partir de um estudo desses textos originais, vemos que o ioga Kalachakra pode ser visto amplamente como o estudo e a prática geral do sistema, ou mais especificamente como práticas de estágio de geração ou como estágio de conclusão, o Kalachakra “ioga de seis membros .”

Visto da maneira anterior, o sistema Kalachakra consiste em três partes, denominadas externa, interna e outra, apresentadas em um sistema de correspondências detalhadas. A externa é uma apresentação detalhada do cosmos, o macrocosmo, incluindo o nosso planeta Terra. A interna é uma apresentação detalhada do ser humano, o microcosmo, incluindo seus corpos sutis e sistemas de energia. Esses dois juntos formam a "base a ser purificada". A outra é uma apresentação detalhada da mandala Kalachakra, as iniciações que permitem seu uso na meditação, instruções sobre como visualizá-la corretamente com seus moradores simbólicos e todos os mantras associados. Em resumo, a mandala Kalachakra é um cosmograma representando os mundos externo e interno em forma idealizada, isto é, como deveriam ser, livre de imperfeições. O ioga Kalachakra, então, em termos gerais, é uma prática meditativa, utilizando as correspondências apresentadas no sistema para permitir que o meditador, o microcosmo, se identifique com o macrocosmo e com sua forma idealizada na mandala Kalachakra, com o propósito de purificar o microcosmo e o macrocosmo.

Sobre o ioga da síntese, D.K. diz: “Soa como uma redundância falar da união através da síntese, mas não é assim. É união através da identificação com o todo - não união através da conscientização ou através da visão. Marquem bem esta distinção, pois nela está o segredo do próximo passo seguinte para as personalidades da raça.” (6) Como foi visto, exatamente essa é a prática do Kalachakra, e também é exatamente isso que distingue o Kalachakra de outros sistemas. D.K. nos alerta sobre a dificuldade de aprender o novo ioga: “O modo de treinamento não consistirá numa resumida marcha até o objetivo. Somente os inteligentes poderão alcançá-lo e somente personalidades coordenadas serão selecionadas para o ensino.” (7)

Vendo o ioga Kalachakra mais especificamente como as práticas do estágio de conclusão do sistema, o "ioga de seis membros", pode ser feita uma comparação muito interessante com os seis estágios de D.K. na construção do Antahkarana. Este é um assunto grande e complexo que requer muita pesquisa nos escritos Sânscritos e Tibetanos. D.K. disse que: “Hoje, o verdadeiro ensino da meditação e a construção da ponte de luz entre a Tríade e a personalidade constituem o mais avançado ensinamento dado em toda parte.” (8) Se houver interesse suficiente nessa comparação, talvez alguns achados podem ser publicados em um artigo futuro.

A intenção do presente artigo é trazer à tona alguns pontos que, quando vistos juntos, indicam a conexão de D.K. com o Kalachakra. Um livro anterior diz sobre D.K.: “É profundamente erudito e sabe mais sobre os raios e as Hierarquias planetárias do sistema solar, do que qualquer outro Mestre.” (9) Esse é precisamente o assunto do Kalachakra “externo”, a única parte do sistema que poderia ser discutida abertamente, segundo a tradição Tibetana. [Nota de 2005: Esta frase é imprecisa e enganosa. Não são as Hierarquias planetárias do sistema solar que são o assunto do Kalachakra "externo", mas, mais propriamente, os movimentos planetários no sistema solar e outros assuntos astronômicos.] Em outro lugar, D.K. prediz que: “Um interessante período começará por volta de 1966, o qual persistirá até o final do século” (10), referente ao esforço centenário da Loja. Talvez não seja coincidência que o ano de 1966 tenha marcado a primeira publicação do Kalachakra Tantra fora do Tibete, abrindo acesso acadêmico.(11)

Lembrando que D. K. considerou os ensinamentos de Shamballa a mais importante de todas as verdades mais recentes que ele transmitiu; mais alguns itens sobre Shamballa, da literatura de Kalachakra, serão interessantes. A capital do país de Shamballa é a cidade de Kalapa. Ao sul de Kalapa, em um parque de sândalo, o rei de Shamballa construiu uma mandala permanente de Kalachakra de grande tamanho. Lá, ele deu os ensinamentos de Kalachakra aos sábios de Shamballa e os iniciou em sua prática, ou sadhana.(12) Da mesma forma, nos últimos séculos, os Panchen Lamas do Tibete construíam ao longo dos anos, no retiro particular anexo à residência deles (supostamente a sede da escola secreta dos Mestres de Sabedoria) (13), uma grande mandala Kalachakra, e eram conhecidos como os principais promotores dos ensinamentos Kalachakra. Essa tradição foi transmitida até os dias atuais pelo Dalai Lama e seu mosteiro particular, Namgyal Datsang.

O material acima, em conjunto com as informações de D.K. sobre Shamballa, ressalta a importância dos ensinamentos de Kalachakra para o mundo. Se Shamballa é o posto avançado no plano físico (etérico) dos logos planetários, a mandala de Kalachakra existente ali é, de fato, o projeto do nosso planeta. É por essa razão que os sábios de Shamballa realizam sua prática meditativa, ou sadhana, para implementar o plano na Terra. (14) Agora, pela primeira vez na história, esses ensinamentos extremamente sagrados, com todo o seu poder, estão sendo revelados ao mundo.

Pode ver-se facilmente qual é o potencial aqui, tanto para o bem quanto para o mal. É por isso que este sistema sempre foi tão cuidadosamente protegido. Por favor, não tente a sua prática sem receber a iniciação Kalachakra, um pré-requisito absoluto, que protege tanto a prática quanto o praticante. Isso não é trivial, e as iniciações Kalachakra dadas publicamente não devem ser consideradas meras cerimônias externas que não são mais necessárias para os discípulos da nova era. D.K. não podia fornecer as formas e os mantras específicos de meditação do sistema Kalachakra antes que esse elemento essencial estivesse instalado e funcionando no mundo. Mesmo agora, as instruções detalhadas para a prática permanecem não publicadas, mas estão disponíveis para os praticantes que receberam a iniciação Kalachakra.

___________

1. Os Raios e as Iniciações, Alice Bailey, p. 251.

2. Shambhala, Nicholas Roerich, 1930, p. 28.

3. Um Tratado sobre Magia Branca, Alice Bailey, p. 429.

4. São eles: A Commentary on the Kãlacakra Tantra, por Geshe Ngawang Dhargyey, “restricted to those who have received the Kãlacakra initiation,” sobre a prática de Kalachakra; The Kalachakra Tantra: Rite of Initiation for the Stage of Generation, por Tenzin Gyatso, the Dalai Lama, sobre iniciação Kalachakra; The Wheel of Time: The Kalachakra in Context, por Geshe Lhundub Sopa, RogerJackson, and John Newman, uma coleção de artigos.

5. Veja:The Books of Kiu-te, or the Tibetan Buddhist Tantras: A Preliminary Analysis, by David Reigle, 1983; e “New Light on the Book of Dzyan,” por David Reigle, em Symposium on H. P. Blavatsky’s Secret Doctrine: Proceedings, 1984.

6. Um Tratado sobre Magia Branca, Alice Bailey, p. 429.

7. Idem.

8. Os Raios e as Iniciações, Alice Bailey, p. 122.

9. Iniciação, Humana e Solar, Alice Bailey, p. 57.

10. Um Tratado sobre o Fogo Cósmico, Alice Bailey, p. 753.

11. Kãlacakra-Tantra and Other Texts, editado em Sânscrito, Tibetano e Mongol, por Raghu Vira e Lokesh Chandra, 2 partes, Nova Délhi, 1966. Em 1985 foram publicados três livros em inglês sobre Kalachakra, um em Sânscrito aprimorado também foi publicado, a edição do Kalachakra Tantra: A Critical Edition of Sn Kãlacakratantra-Rãja editada por Biswanath Banerjee, Calcutá.

12. Veja também: Kãlacakra Research Publications, No. 1: The Lost Kãlacakra Müla Tantra on the Kings of Sambhala, por David Reigle, 1986.

13. A Doutrina Secreta, H. P. Blavatsky, Adyar ed., vol. 5, p. 391.

14. Veja também: Kãlacakra Sãdhana and Social Responsibility, de David Reigle, não publicado. [Nota de 2005: agora publicada, Santa Fe: Spirit of the Sun Publications, 1996.] [O artigo anterior foi escrito por David Reigle e publicado em The Beacon, vol. 54, n. 1, jan./fev. 1991, pp. 23-25, com o título ligeiramente variante, "DK and Kalachakra". Esta edição on-line é publicada pelo Eastern Tradition Research Institute, copyright 2005.]

_____

The Beacon, jan - fev 1991

______________

Os livros de Alice A. Bailey (D.K.) e da Agni Ioga são editados no Brasil pela Fundação Cultural Avatar - http://www.fcavatar.org.br

Início