As Três Dimensões Energéticas do Amor Humano, os sete chakras e os três “i”s

As três dimensões são:

1. O Amor que vem de cima;
2. O Amor que vem do coração;
3. O Amor que vem de baixo.

- O “Amor que vem de cima” é o Amor Divino ou Transcendente. Nirvana, Graça, Samadhi, Beatitude, Paraíso, Sétimo Céu, Quinta Dimensão, Êxtase, Unidade com o Todo, são alguns dos seus nomes. Esse amor está vinculado ao centro do alto da cabeça, o Chakra da Coroa, ou Sahasrara, também conhecido como o Lótus das Mil Pétalas, que implica em transcendência e no contato com dimensões superiores do ser. É um lugar de pura consciência e eternidade. Este tipo de amor não é facilmente manifestado, requer pureza de vida e disciplina e vem até nós principalmente através da intuição e da iluminação, em momentos de elevação e comunhão espiritual. O Amor que vem de cima também está vinculado ao chakra do terceiro olho, Ajna, localizado no centro da testa, que nos dá visão e percepção extrassensorial. Elemento: Éter em variados graus de sutileza.

Esse tipo de amor está vinculado à intuição: o primeiro “i” para efeito do nosso estudo.

- O Amor que vem do coração, ou o amor do ponto do meio, está vinculado principalmente ao chakra cardíaco, Anahata, e também ao chakra da garganta, Vishuddha. O Anahata é a sede do fogo purificante do amor da Criação e o Vishudda é um instrumento para a criatividade, expressão e comunicação através do poder da palavra a partir do coração.

Quando ativo de forma positiva e elevada, o amor do ponto do meio traz consigo amor incondicional, compaixão, emoção sublimada, inteligência amorosa, desenvolvimento intelectual, compreensão, aceitação, atração magnética, coesão e força centrípeta, que atrai tudo para o seu centro de forma integrativa e transformadora. Elemento Ar.

Esse amor está vinculado ao segundo “i”, a inteligência amorosa e compreensiva.

- O “Amor que vem de baixo” está vinculado aos chakras que se situam abaixo do diafragma, a saber: o chakra da base da coluna, ou Muladhara; o chakra do sacro, ou Svadisthana; e o chackra do pelxo solar, ou Manipura. Elementos: Terra, Água e Fogo. Esses chakras trazem consigo forças corporais saudáveis, energia vital e telúrica, energia sexual, vida e movimento. Constituem a base por onde circula o fogo kundalini, que vivifica o organismo e, quando desperto, produz iluminação. Por suas próprias características, esse amor deve estar subordinado aos dois tipos de amor superiores acima, para que haja um fluxo saudável e bem orientado de suas poderosas energias.

Esse tipo de amor constitui o terceiro “i”, instinto sadio.

Num relacionamento amoroso humano, quando há entendimento e uma sintonia e harmonia dos parceiros com estes três “i”s, temos uma relação saudável e equilibrada. Muitos problemas ocorrem quando o equilíbrio se dá apenas em um ou dois destes “i”s, havendo desarmonia nos demais. Cabe ressaltar contudo que, em pessoas pouco desenvolvidas, geralmente apenas os dois “i”s mais baixos estão ativos, e mesmo assim num nível ainda a ser bastante lapidado, com a intuição ficando para uma etapa posterior da evolução.

Através da Lei da Analogia, apontada no livro Psicologia Esotérica, temos o seguinte:

Intuição -----> Reino Espiritual
Intelecto ----> Reino Humano
Instinto -----> Reino Animal

Essas considerações vieram à luz através de estudos, intuição e síntese e a providencial inspiração advinda de pessoas muito especiais, como MCC... Gratidão, sempre!

- Sathyanaggar, Brasília – Abril 2024 – ainda no rescaldo da Lua cheia de Wesak, sob as bençãos da Hierarquia planetária…

Referências:
1. A Bíblia dos Chakras, Patricia Mercier, Ed. Pensamento;
2. Psicologia Esotérica, vol. I, Alice Bailey, Ed. Fundação Cultural Avatar.

Início