Navegação

A CIÊNCIA DO ANTAHKARANA


A Construção do Antahkarana na Raça Ariana ... Presente

Gostaria de fazer aqui uma pausa e apresentar algumas observações sobre este relativamente novo processo de construção do antahhkarana. Ele tem sido conhecido e seguido por aqueles em treinamento para afiliação com a Hierarquia, mas não foi divulgado antes para o público em geral. Há duas coisas essenciais que o estudante deve notar. Uma, é que a menos que se tenha em mente que estamos tratando de energia, e energia que precisa ser cientificamente usada, todo este ensinamento será em vão. Segundo, é preciso lembrar que estamos tratando de uma técnica e processo que dependem do uso da imaginação criativa. Quando esses dois fatores forem reunidos, consciente e deliberadamente - o fator da substância da energia e o fator do impulso planejado - começamos um processo criativo que produzirá importantes resultados. O ser humano vive em um mundo de variadas energias que, às vezes, se expressam como energias dinâmicas, positivas, como energias negativas, receptivas, ou como forças atrativas, magnéticas. Uma compreensão desta frase irá corroborar a de H. P. B. de que "matéria é espírito em seu ponto mais baixo", e que o inverso é igualmente verdadeiro. O processo todo é o de estabelecer relações construtivas entre energias positivas e negativas e a subsequente produção de força negativas e a subsequente produção de força magnética. Este é o processo criativo. É verdade quanto à atividade de um Logos solar, de um Logos planetário e de um ser humano - os únicos criadores conscientes no universo. Ele precisa ser verdadeiro para o discípulo que está tentando trazer a uma relação construtiva a Mônada e a expressão humana nos três mundos da evolução humana.

Tem sido dada muita ênfase à vida da alma e sua expressão no plano físico; isto foi necessário e uma parte do desenvolvimento evolutivo da consciência humana. O reino das almas precisa, eventualmente, dar lugar ao governo do espírito; a energia da Hierarquia precisa tornar-se uma força receptiva à energia de Shamballa, assim como a força da humanidade tem de tornar-se receptiva à energia do reino das almas. Hoje, os três processos estão progredindo simultaneamente, embora a receptividade da Hierarquia ao segundo aspecto da energia de Shamballa esteja apenas começando a ser reconhecida. A Hierarquia há muito tempo tem sido receptiva ao terceiro aspecto da energia de Shamballa, o aspecto criativo, e - num período ainda muito distante - será capaz de responder ao primeiro aspecto dessa mesma energia. A tríplice natureza da manifestação divina precisa também expressar-se como uma dualidade. Isto pode ser compreendido de modo vago quando o discípulo percebe que (depois da terceira iniciação) ele também precisa aprender a funcionar como uma dualidade - Mônada (espírito) e forma (matéria) - em direta harmonia com o aspecto consciência, sendo a alma mediadora absorvida em ambos estes aspectos de expressão divina, mas não funcionando ela própria como um fator intermediário. Quanto isto é alcançado, a verdadeira natureza do Nirvana será compreendida, o começo daquele Caminho sem fim que conduz ao Uno; este é o Caminho onde a dualidade é resolvida na unidade, o Caminho que os Membros dá Hierarquia estão procurando palmilhar e para o qual Eles Se estão preparando.

O passo inicial para efetuar este dualismo é a construção do antahkarana, e isto é conscientemente empreendido somente quando o discípulo se está preparando para a segunda iniciação. Como já disse antes, há literalmente milhares preparando-se para tal, porque podemos presumir que todos os verdadeiros aspirantes e discípulos que trabalham firmemente pelo avanço espiritual (com motivo puro) e que estão firmemente orientados para a alma, já fizeram a primeira iniciação. Esta simplesmente indica o nascimento do Cristo menino no coração, falando simbolicamente. Deve haver muitos que se estão preparando para começar esta tarefa de construção da ponte de arco-íris e que, sob a influência da Sabedoria Antiga, estão compreendendo a necessidade e a importância da revelação que este processo transmite. O que estou escrevendo aqui tem, pois, um propósito definido e útil. Há muito tempo, minha tarefa tem sido a de divulgar em livros informação sobre a próxima etapa de reconhecimento inteligente e espiritual para a humanidade. Portanto, mais uma vez, a compreensão do método de construção do antahkarana é essencial, se quisermos que a humanidade avance como planejado, e neste avanço os discípulos e aspirantes são realmente a vanguarda. A humanidade acordará, firmemente e como um todo, em resposta ao entrante estimulo espiritual; um avassalador impulso em direção à luz espiritual e a uma orientação superior terá lugar. Assim como cada discípulo tem de virar-se na direção oposta da roda da vida e palmilhar o Caminho inverso ao dos ponteiros do relógio, também é preciso que a humanidade o faça. Os dois terços que atingirão a meta da evolução já estão começando a fazer isso.

Nesse processo, porém, o terceiro aspecto divino - o do Ator Criativo - entra em atividade. Foi assim no processo criativo no que diz respeito ao universo tangível. Precisa também ser assim quando o discípulo individual se torna o agente criador. Durante eons, ele tem construído e usado seus veículos de manifestação nos três mundos. Depois, chegou a hora quando pessoas avançadas começaram a criar no plano mental; elas sonharam seus sonhos; elas viram uma visão; elas contataram intangível beleza; elas tocaram a Mente de Deus e retomaram à terra com uma ideia. Deram uma forma a esta ideia e tornaram-se criadores no plano mental; elas tornaram-se artistas em alguma forma de esforço criativo. Na tarefa de construir o antahkarana, o discípulo também tem de trabalhar nos planos mentais, e aquilo que ele lá constrói será de uma substância tão fina que não deve e não pode aparecer em níveis físicos. Devido à sua fixa orientação, aquilo que ele constrói "mover-se-á para cima em direção ao centro de vida", e não "para baixo em direção ao centro de consciência ou em direção à aparência de luz".

Aqui reside a dificuldade para o principiante. Ele, por assim dizer, tem de trabalhar no escuro, e não está em condição de verificar a existência daquilo que ele está tentando construir. Seu cérebro físico é incapaz de registrar sua criação como um fato realizado. Ele é obrigado a depender inteiramente da técnica comprovada do trabalho delineado, e prosseguir pela fé. A única evidência de sucesso pode demorar a chegar, pois isso envolve a sensibilidade do cérebro, e frequentemente, onde há verdadeiro sucesso, as células do cérebro não são de molde a poder registrá-lo. As possíveis evidências nesta etapa podem ser um lampejo de intuição espiritual ou a súbita realização da vontade-para-o-bem numa forma dinâmica e grupal; pode também ser simplesmente uma habilidade para compreender e fazer outros compreenderem certos fundamentos espirituais e ocultos; pode ser uma "facilidade de revelação", receptiva e condicionadora ou distributiva, e por isso mundialmente efetiva.

Estou tentando tornar claro um assunto muito abstruso, e as palavras revelam-se inadequadas. Tudo que posso fazer é esboçar para vocês o processo e método e uma consequente esperança para o futuro; por sua vez, vocês podem somente experimentar, obedecer, ter confiança na experiência daqueles que ensinam, e então esperar, pacientemente, pelos resultados.

Início